04/02/10

BPP´s e BPN´s e...


....o raio que os parta a todos!!! Ainda não tinha dado a minha opinião sobre a coisa mas acho que está na hora.

Tudo muito certo, é uma desgraça para aquela gente terem "apostado" no cavalo errado e deve ser desesperante verem-se, de repente, assim sem nada. Compreendo isso perfeitamente. O que não compreendo é porque é que eu, que também trabalho como eles trabalharam e também procuro ir poupando e investindo uns trocos tenho de "pagar" a factura disso.

Nacionalizações? Garantia dos dinheiros perdidos? Pelo amor da santa.

Os senhores investiram o dinheiro em produtos de risco. O nome não engana, pois não? A coisa correu mal mas e se tivesse corrido bem? Dividiam o dinheiro pelo resto da população? Se eu ficar sem emprego e não conseguir pagar a casa.....o governo paga-a por mim? Se eu achar por bem "investir" numa qualquer casa de apostas e ficar sem nada.....devolvem-me o dinheiro?

Acho que a resposta todos sabemos...


7 comentários:

NI disse...

Não te paga a casa mas dá-te uma moratória qualquer...

:)

Gosto... disse...

Dá para trocar? Eu preferia que me pagassem a casa... :D

Abobrinha disse...

Não é bem assim: algumas aplicações eram de retorno garantido.

O que se passa é que o Banco de Portugal viu e viu e tornou a ver e no fim ficou "surpreendido" com tudo e todos! O problema é que os responsáveis pela situação ficam com os empregos e sem a responsabilidade. E o último a sair que feche a porta...

Gosto... disse...

Abobrinha...o que se passa é que este pessoal mete o dinheiro na mão do banco e nem lê ou quer saber do que se vai fazer com o dito. Que seja de retorno garantido. Para mim o príncipio é o mesmo. Até porque, ao que me parece, os bancos em questão até são entidades privadas e não públicas, certo?

Agora eu é que não tenho de pagar por erros dos outros. Senão vamos dar ao mesmo...quem me paga as minhas contas se eu perder o meu dinheiro em "apostas de risco"?!

BEIJOOOOOOOOOOO

Abobrinha disse...

Os bancos são privados, mas estão sujeitos a regras. Do mesmo modo os seguros estão sujeitos a regras (e há mesmo um fundo para o caso de uma seguradora falir), os restaurantes estão sujeitos a regras, os empregadores estão sujeitos a regras.

Só que enquanto a ASAE anda a fiscalizar pintelhos, os Banco de Portugal (a ASAE dos bancos) andou a DORMIR! Os bancos têm culpa por ser gananciosos, mas isso é natural. O que não é natural é que a supervisão que eu e tu pagamos tenha falhado tão estupidamente e dado origem a estes casos. E sim, que quem pague sejamos nós e não quem não exerceu supervisão. O que acontece porque isto é um país mais ou menos em termos de contas e de justiça!

Gosto... disse...

Obviamente Abobrinha que estão sujeitos a regras. E é certo e sabido que a supervisão aqui falhou e em grande. Mas não me aquecia nem me arrefecia que os responsáveis fossem despedidos. O que eu não tenho de pagar é o prejuízo dos outros.

Falaste nos seguros. Pois muito bem. Mas quem tem um seguro não ganha dinheiro com ele. (excepto os de vida mas isso é outra guerra) e neste caso as pessoas que la tinham o dinheiro, caso a coisa nao desse para o torto, iam ganhar com isso, certo? Ou seja, isto era um investimento e os seguros não. Volto a perguntar...se ganhassem dinheiro era distribuído por todos os contribuintes?

Dylan disse...

Nem quero imaginar pelo que estão a passar os clientes do BPP, sem acesso às suas contas desde 2008. No entanto, convém distinguir aqueles que se dirigiram ao banco para fazer um simples depósito a prazo - sendo enganados pelo engodo das taxas de juro elevadas -, e outros clientes que fizeram "aplicações de capital garantido", com o respectivo risco daí inerente. Enquanto que no primeiro caso o Estado protege os cidadãos através do Fundo de Garantia de Depósitos, é ao banco que cabe a responsabilidade do retorno garantido, mesmo em caso de falência. Sendo assim, não pode ser só o Estado, à custa do erário público, a ressarcir os lesados, mas transferir para os antigos administradores, investidores e accionistas, essa tarefa.

http://dylans.blogs.sapo.pt/